A dengue é uma doença viral febril aguda — com um amplo espectro de manifestações clínicas —, podendo variar desde casos leves a síndrome com choque e disfunção de órgãos, ameaçando a vida.

O vírus da dengue apresenta alguns sorotipos conhecidos como DENV1, DENV2, DENV3 e DENV4. Ele é transmitido, principalmente, pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, que também é vetor de outras doenças, como Chikungunya e Zika.

Antes de conhecer os sintomas da dengue, saiba como evitar a doença por meio de ações simples no dia a dia. Com essas atitudes, é possível prevenir o contágio da dengue e a proliferação do mosquito transmissor.

Como prevenir a dengue?

Apesar de já existir uma vacina para imunização contra a dengue, o cuidado para evitar a proliferação da doença deve começar em casa.

A melhor prevenção ainda é eliminar os criadouros do Aedes aegypti, que se beneficia de ambientes com água parada, nos quais a fêmea deposita seus ovos, que viram larvas e, posteriormente, se tornam mosquitos.

Listamos, a seguir, 5 passos para a eliminação dos criadouros do vetor da dengue:

1. Descarte corretamente recipientes que acumulam água

Garrafas, sacolas plásticas e pneus velhos, entre outros, são ótimos locais para a proliferação do mosquito transmissor da dengue.

Esses recipientes podem acumular água, principalmente quando deixados em ambientes externos, criando as condições ideais para que a fêmea do Aedes aegypti coloque seus ovos.

2. Mantenha caixas d’água e piscinas sempre cobertas

A mesma recomendação vale para caixas d’água e piscinas, nas quais há grandes quantidades de água parada.

Mantenha a caixa d’água sempre tampada e sempre cubra a piscina com uma lona própria para essa finalidade, além de tratar a água constantemente com produtos específicos.

3. Cuide bem de vasos de planta

Evite deixar pratinhos embaixo de vasos de planta, pois ali também pode haver acúmulo de água depois de cada rega ou após as chuvas. Caso não seja possível retirar o pratinho, limpe-o constantemente e cubra-o com terra ou areia.

4. Sempre limpe os recipientes de água de animais domésticos

Se você tem bichos de estimação em casa, não se esqueça de trocar a água pelo menos uma vez ao dia.

Além disso, limpe diariamente os recipientes e enxágüe-os bem, para garantir que não sejam deixados resíduos de detergente ou sabão.

5. Instale telas protetoras

Além das medidas listadas acima, uma ótima forma de prevenir o contato com o mosquito transmissor da dengue é a instalação de telas protetoras em janelas e portas de casas e apartamentos.

Essa medida, porém, não substitui os cuidados para evitar o surgimento de criadouros do mosquito em bolsões de água parada e sua consequente proliferação. Por isso, sempre siga os passos sugeridos acima para impedir que o Aedes aegypti se propague.

Outras formas de combate e prevenção

Além dos cuidados listados nos 5 passos, tome algumas medidas complementares. Uma delas é o uso de repelentes sintéticos ou naturais (como óleo essencial de citronela), que podem ser encontrados em forma de spray corporal, velas e outros repelentes ambientais. Além disso, tenha atenção a terrenos abandonados, onde pode haver acúmulo de água parada.

Caso perceba focos de água parada em sua vizinhança — em locais como obras e terrenos baldios —, entre em contato com o serviço de limpeza urbana de sua cidade. Dessa maneira, você colabora para o combate aos criadouros do mosquito da dengue e ajuda a evitar a proliferação da doença.

Agora que você conhece as medidas mais importantes para evitar a propagação e o contato com o mosquito da dengue, saiba o que fazer caso tenha sido contaminado com a doença.

A seguir, explicaremos quais são os sintomas da dengue, quando você deve procurar ajuda médica, como a doença é diagnosticada e como tratá-la. Continue a leitura.

Quais são os sintomas da dengue?

Após um período médio de 5 a 6 dias após a picada do mosquito, o paciente tem febre alta, de início abrupto, associada a dor de cabeça, dor retrorbitária (atrás dos olhos), dores musculares e articulares, falta de apetite e fadiga.

O paciente pode apresentar, ainda, manchas vermelhas na pele, coceira, náuseas, vômitos, diarreia e manifestações hemorrágicas, como sangramento pelo nariz ou gengiva.

Caso suspeite que esteja com dengue, evite a automedicação e beba bastante água. Faça repouso e mantenha uma alimentação leve, com muitas frutas, verduras e legumes. Evite alimentos gordurosos e não faça esforço físico desnecessário.

Quando procurar um médico?

Ao apresentar os sintomas descritos acima, procure o serviço médico mais próximo de sua residência, para que seja realizado um hemograma para avaliação de hemoconcentração e plaquetopenia, além da verificação dos sinais e sintomas de gravidade.

Alguns sinais e sintomas de gravidade da doença são:

  • dor abdominal intensa;
  • vômitos;
  • dificuldade de respirar;
  • aumento doloroso do fígado;
  • letargia;
  • derrames cavitários (aumento de líquido em cavidades do pulmão, coração e abdome);
  • hemorragias importantes;
  • diminuição da diurese;
  • hipotensão.

Diagnóstico

O diagnóstico da dengue pode ser feito por meio dos seguintes exames:

  • detecção do RNA viral ou proteína NS1: até o quinto dia dos sintomas.
  • sorologia para dengue: após o sexto dia.
  • isolamento viral: geralmente realizado para propostas de pesquisa ou análise epidemiológica.

Duração

A maioria dos pacientes tem resolução do quadro em torno de 5 a 7 dias. No entanto, a fadiga pode persistir por semanas após o desaparecimento dos outros sintomas.

Prevenção

Além das medidas listadas anteriormente — que podem ser feitas por todos —, o combate ao mosquito envolve ações contínuas de:

  • educação;
  • inspeções domiciliares;
  • eliminação e tratamento de criadouros em locais públicos;
  • uso de inseticidas;
  • vacina.

Tratamento

Não há tratamento antiviral específico. O manejo adequado dos pacientes depende do reconhecimento precoce dos sinais de gravidade, uso de medicamentos sintomáticos e hidratação oral ou injetável, dependendo do quadro do paciente.

O uso de anti-inflamatórios e salicilatos é contraindicado, pelo risco de sangramento e síndrome de Reye.

Além disso, é importante manter repouso e hidratar-se constantemente.

Prognóstico

A maioria dos pacientes evoluiu com melhora espontânea do quadro em 5 a 7 dias. No entanto, em alguns casos, pode haver evolução desfavorável da doença. Nesses casos, é crucial buscar ajuda médica o mais rápido possível, para evitar a piora dos sintomas e desfechos mais graves.

Se você apresenta algum sintoma característico da dengue, agende agora uma consulta com médico que atue em infectologia!

Saiba mais