Material exclusivo da Harvard Health Publications

O que é?

A distensão muscular é o estiramento ou ruptura das fibras musculares. A maior parte das distensões musculares ocorre pelas seguintes razões: o músculo foi distendido além dos seus limites ou foi forçado a contrair-se pelo excesso de força.

Nos casos leves, apenas algumas fibras musculares são distendidas ou sofrem ruptura e o músculo permanece intacto e forte. No entanto, nos casos graves, o músculo distendido pode sofrer ruptura e ser incapaz de funcionar adequadamente.

Para ajudar a simplificar o diagnóstico e o tratamento, os médicos classificam frequentemente as distensões musculares em três graus, dependendo da gravidade da lesão das fibras musculares:

  • Grau I: nessa distensão leve apenas algumas fibras musculares são distendidas e sofrem ruptura. Embora o músculo lesado se apresente levemente hipersensível e doloroso, a força muscular é normal.
  • Grau II: essa é uma distensão moderada, em que um maior número de fibras musculares sofre ruptura e existe uma dor e hipersensibilidade muscular mais acentuada, juntamente com um leve edema, diminuição perceptível da força e, por vezes, equimose.
  • Grau III: o músculo sofre uma ruptura completa, causando por vezes uma sensação de “estalo” quando o músculo se rasga em duas partes separadas ou quando o músculo se separa do tendão. As distensões musculares de grau III constituem lesões graves que causam a perda completa da função muscular, bem como dor, edema, hipersensibilidade e grandes alterações da coloração. Uma vez que a distensão de grau III também causa uma modificação do contorno normal do músculo, muitas vezes produz uma descontinuidade ou depressão visíveis sob a pele na região em que as partes do músculo se separaram.

 

Embora o risco de distensão muscular seja especialmente elevado durante as atividades esportivas, também se pode sofrer uma distensão muscular ao levantar uma caixa pesada ou simplesmente por colocar mal o pé na borda da calçada.

Praticamente todos os tipos de atividade atlética comportam algum risco de distensão muscular, mas essas lesões tendem a ocorrer mais frequentemente nos esportes de contato, como o futebol, e nos esportes que exigem arranques rápidos, como o basquetebol e o tênis.

Sintomas

Os sintomas de distensão muscular incluem:

  • Dor e hipersensibilidade muscular, especialmente após uma atividade que distende ou que contrai violentamente um músculo ― a dor geralmente aumenta quando a pessoa movimenta o músculo, mas é aliviada pelo repouso.
  • Edema e/ou alteração da coloração do músculo
  • Dores ou espasmo musculares
  • Diminuição na força muscular ou (nas distensões de grau III) perda completa da função muscular
  • Um estalo no músculo na altura da lesão
  • Uma fenda ou depressão ou outro defeito no contorno normal do músculo (na distensão de grau III)

 Diagnóstico

O médico vai querer saber qual o tipo de atividade desencadeou a dor muscular, e se ocorreu um estalo no músculo no momento da lesão. Além disso, ele fará perguntas sobre os sintomas, especialmente qualquer diminuição na força muscular ou qualquer dificuldade para movimentar.

O médico também pode questionar se a pessoa apresentou recentemente febre, perda de peso, diminuição da força na perna, problemas urinários, de bexiga, ou outros sintomas que podem indicar um problema médico mais grave.

Depois de avaliar os sintomas e o histórico clínico, o médico irá examinar a pessoa, verificando a presença de hipersensibilidade, espasmo ou fraqueza muscular e diminuição da mobilidade muscular. Se esse exame for sugestivo de uma distensão muscular leve a moderada, o doente pode não precisar de quaisquer exames adicionais.

No entanto, se o diagnóstico for duvidoso, poderá haver a necessidade de realizar uma radiografia ou uma ressonância magnética nuclear.

Se a pessoa tiver dores lombares, o médico pode pedir exames adicionais para verificar a presença de uma infecção urinária ou de um problema envolvendo as vértebras (os ossos da coluna), os discos intervertebrais, o canal espinhal ou a medula espinhal.

 Duração esperada

A duração da distensão muscular depende da sua localização e da gravidade da lesão. Os sintomas de uma distensão muscular leve do dorso irão geralmente melhorar dentro de uma a duas semanas e desaparecer ao fim de quatro a seis semanas.

Nas pernas, as distensões leves a moderadas podem demorar até 8 a 10 semanas, ou mesmo mais, a curar. Os sintomas de uma distensão muscular grave (de grau III) podem persistir até o músculo que sofreu ruptura ser reparado cirurgicamente.

 Prevenção

Para ajudar a prevenir as distensões musculares, pode-se tomar as seguintes precauções:

  • Realizar exercícios de aquecimento antes de participar de esportes e atividades.
  • Seguir um programa de exercício físico que proporcione alongamento e fortalecimento dos músculos.
  • Aumentar a intensidade do programa de treino gradualmente. Nunca se esforçar excessivamente, cedo demais.
  • Manter um peso corporal saudável. A obesidade pode forçar os músculos, especialmente nos membros inferiores e no dorso.
  • Conservar uma boa postura quando se sentar ou estiver de pé.
  • Usar a técnica correta quando levantar grandes pesos.

 Tratamento

Se uma pessoa sofrer uma distensão de grau I ou de grau II, o médico irá provavelmente recomendar que siga a regra de RICE:

  • Repousar o músculo lesado (fazer uma pausa temporária das atividades esportivas).
  • Aplicar gelo (“Ice”) na área lesada para reduzir o edema.
  • Comprimir o músculo com uma atadura elástica.
  • Elevar a área lesada.

Para aliviar a dor e o edema muscular, o médico pode sugerir que o doente tome um medicamento anti-inflamatório não esteroide (AINE). Nas pessoas com distensões dorsais dolorosas que não melhoram com os AINEs, pode ser apropriada a prescrição de medicamentos analgésicos ou relaxantes musculares.

Se o paciente tiver uma distensão grave de grau II ou de grau III, o médico pode encaminhá-lo a um especialista em ortopedia. Dependendo da gravidade e da localização da distensão muscular, o ortopedista pode imobilizar o músculo lesado numa tala gessada durante várias semanas ou pode repará-lo cirurgicamente.

As distensões musculares leves podem curar rápida e espontaneamente, mas as distensões mais graves podem exigir um programa de reabilitação.

 Quando procurar um médico

Consulte imediatamente o médico se:

  • Ouvir ou sentir um estalo no músculo na altura da lesão.
  • Sentir uma dor intensa, edema ou alteração na coloração do músculo lesado.
  • O músculo lesado apresentar uma fraqueza óbvia em comparação com o mesmo músculo do lado oposto do corpo.
  • Sentir sintomas leves no músculo que não melhoram ao fim de 48 horas
  • Tiver uma dor intensa nas costas que o impossibilite de realizar as atividades diárias normais ou se tiver uma dor leve no dorso que se agrava ao fim de alguns dias.
  • Se estiver em tratamento para uma distensão nas costas e os sintomas não melhorarem depois de duas semanas.
  • Se tiver uma dor no dorso associada a qualquer dos seguintes sintomas, que podem indicar a presença de um problema médico mais grave do que uma distensão leve:
    • Febre ou calafrios
    • Dor ou sensação de queimadura ao urinar
    • Fraqueza, entorpecimento ou formigamento que aparece subitamente em uma perna
    • Entorpecimento no nível da região inguinal ou do reto
    • Dificuldade para controlar a bexiga ou a função intestinal

Prognóstico

A recuperação depende da localização e da gravidade da distensão muscular. De modo geral, praticamente todas as distensões de grau I curam ao fim de poucas semanas, enquanto as distensões de grau II podem demorar dois ou três meses ou até mais.

Depois de uma intervenção cirúrgica para reparar uma distensão de grau III, a maior parte das pessoas recupera a função muscular normal depois de vários meses de reabilitação.