O que é?

A próstata é uma pequena glândula aproximadamente do tamanho e da forma de uma noz que se situa diretamente embaixo da bexiga e em frente ao reto. A próstata faz parte do aparelho reprodutor masculino e produz um fluido que se mistura com o esperma para formar o sêmen.

No nascimento, a glândula prostática é muito pequena. Durante a puberdade, quando os níveis de testosterona aumentam, a próstata cresce rapidamente, duplicando de tamanho por volta dos 20 anos de idade. O crescimento diminui de velocidade nas duas décadas seguintes e a próstata geralmente não causa problemas durante muitos anos.

Menos de 10% dos homens com 30 anos têm uma próstata aumentada. Quando um homem atinge os 40 anos, a próstata sofre um segundo surto de crescimento. Metade dos homens apresenta uma próstata aumentada quando atinge os 60 anos de idade e, por volta dos 85 anos, isso acontece em 90% dos homens.

A próstata envolve o tubo que transporta a urina da bexiga (a uretra). Durante a puberdade, a próstata se expande de forma equilibrada. No entanto, o aumento que ocorre na segunda metade da vida concentra-se na parte da glândula situada próximo da uretra.

À medida que a glândula aumenta de tamanho, ela interfere com o fluxo de urina para fora da bexiga, obrigando esta última a fazer mais esforço para esvaziar. Com o tempo, o problema se agrava e a pessoa não consegue eliminar toda a urina contida na bexiga. A parede desta pode se tornar espessa, resultando em espasmos musculares.

Sintomas

Uma próstata aumentada pode fazer com que seja mais difícil urinar, mas nem todos os homens que têm uma próstata aumentada têm sintomas. No entanto, cerca de um quarto dos homens nos Estados Unidos acusa alguma dificuldade em urinar.

Inicialmente, os sintomas podem ser leves, uma vez que o músculo da bexiga é capaz de compensar a pressão provocada pelo aumento do volume da próstata sobre a uretra.

A pressão da próstata sobre a uretra causa um jato de urina interrompido ou fraco. Outros sintomas incluem:

  • Dificuldade em começar a urinar;
  • Continuar a gotejar depois de urinar;
  • Uma sensação de que a bexiga não está totalmente vazia.

A gravidade desses problemas depende da pressão que a próstata exerce sobre a uretra.

Outros sintomas surgem quando a urina que se acumula na bexiga causa irritação, a saber:

  • Dor ao urinar;
  • Necessidade de esvaziar a bexiga com frequência, especialmente durante a noite;
  • Uma sensação de urgência que acompanha a vontade de urinar;
  • Perda do controle da bexiga (incontinência).

Complicações graves podem ocorrer se a bexiga não se esvaziar completamente. A urina que fica retida na bexiga causa o crescimento de bactérias que, por sua vez, podem causar infecções urinárias frequentes.

Além disso, cálculos urinários podem se formar no revestimento da bexiga devido a um acúmulo de resíduos e de substâncias químicas. A ruptura de vasos sanguíneos pode levar ao aparecimento de sangue na urina, a partir das veias dilatadas da superfície interna da próstata.

O sangue na urina pode ser causado por uma distensão súbita da parede da bexiga. Se esta condição não for tratada, a urina retida na bexiga pode refluir para os rins e provocar uma insuficiência renal.

Diagnóstico

O médico irá interrogar o paciente para avaliar a gravidade dos sintomas urinários. Ele fará um toque retal para determinar o tamanho, a forma e a consistência da glândula prostática. Uma amostra de urina é coletada para análise a fim de detectar a presença de sangue ou de infecção.

O médico pode pedir exames, como uma ultrassonografia, para medir a quantidade de urina na bexiga, ou uma cistoscopia, na qual um tubo iluminado é inserido na bexiga através do pênis. Podem ser realizados alguns testes especiais para avaliar os músculos e os nervos da bexiga, especialmente se o paciente tiver problemas de perda involuntária de urina.

Duração

Os sintomas de uma próstata aumentada nem sempre estão relacionados diretamente com o tamanho da glândula. Muitos homens com uma próstata aumentada não têm nenhum sintoma.

Em outros, os sintomas são leves e agravam-se lentamente, não provocando problemas sérios. Cerca de um terço dos homens com uma próstata aumentada tem sintomas que continuam a agravar-se e que requerem tratamento.

Prevenção

Embora não se possa prevenir o aumento da próstata, os homens podem tomar algumas medidas para reduzir os sintomas:

  • Limitar a ingestão de líquidos no final do dia, especialmente as bebidas alcoólicas e com cafeína. Essa medida ajuda a minimizar o número de vezes que a pessoa tem de urinar durante a noite. Além disso, a ingestão de grande quantidade de álcool pode irritar a bexiga ou a próstata. Por esse motivo, os especialistas recomendam que os homens consumam no máximo duas doses de bebidas alcoólicas por dia;
  • Perguntar ao seu médico se é possível substituir ou eliminar os medicamentos que podem agravar o problema. Esses medicamentos incluem os anti-histamínicos, os diuréticos, os descongestionantes, os antiespasmódicos, os tranquilizantes e determinados tipos de antidepressivos. Esses fármacos podem enfraquecer o músculo da bexiga ou estreitar a abertura da próstata;
  • Aproveitar todas as oportunidades para urinar e dar um tempo suficiente para esvaziar completamente a bexiga.

Tratamento

Quando procurar tratamento e quais as medidas mais adequadas para o seu caso constituem decisões pessoais que a pessoa deve tomar com a ajuda do médico. A razão principal para procurar tratamento é o fato da pessoa se sentir incomodada pelos sintomas ou pelas alterações na micção que interferem com o estilo de vida.

Existem três condutas possíveis:

Vigilância

Se os sintomas não forem graves, a pessoa deve consultar o médico apenas se for necessário.

Medicamentos

Os medicamentos denominados alfa-bloqueadores ajudam a relaxar os músculos situados na base da bexiga e irão aumentar a capacidade do paciente para urinar. Aproximadamente 70% dos homens notam melhora nos sintomas alguns dias depois de começar a tomar um desses medicamentos. Em contrapartida, os alfa-bloqueadores podem causar tonturas, fadiga e pressão arterial excessivamente baixa.

Em alguns homens, os medicamentos que bloqueiam a testosterona podem reduzir o tamanho da próstata e aumentar o fluxo de urina. Esses medicamentos demoram de três a seis meses para começar a agir e podem causar impotência em aproximadamente 4% dos homens. Os bloqueadores da testosterona comumente prescritos, também conhecidos por inibidores da 5-alfa-redutase..

Estudos recentes sugerem que a combinação de um alfa-bloqueador com um bloqueador da testosterona pode ser mais eficaz do que qualquer um dos medicamentos tomados isoladamente.

Cirurgia

Esta opção proporciona melhor oportunidade para abrandar os sintomas, mas proporciona um risco maior de complicações. Existem diversos tipos de intervenções cirúrgicas:

  • Ressecção transuretral da próstata (RTUP) — Esta é a intervenção cirúrgica mais frequentemente realizada. O cirurgião insere um telescópio e uma alça elétrica através da uretra até à próstata aumentada e, em seguida, a alça elétrica queima o tecido prostático em excesso para abrir a passagem uretral. A operação demora aproximadamente 90 minutos. É realizada sob anestesia geral. O paciente fica um dia hospitalizado. O efeito secundário mais frequente é a ejaculação retrógrada, na qual o sêmen reflui para a bexiga em vez de sair pela extremidade do pênis, resultando em orgasmos “secos”.
  • Incisão transuretral da próstata (ITUP) — Esta intervenção cirúrgica alarga a uretra por meio de pequenos cortes na abertura da bexiga, em vez de remover o tecido prostático, e é usada apenas quando existe um aumento mínimo da glândula. Esse procedimento tem a vantagem de apresentar uma taxa de complicações baixa, não sendo necessário que o paciente fique internado no hospital de um dia para o outro. No entanto, os resultados no longo prazo podem não ser tão bons como os observados com a RTUP.
  • Termoterapia transuretral com micro-ondas (TTUM) — Uma antena de micro-ondas é inserida na uretra para aquecer a próstata e destruir o tecido que cresceu em excesso. Esse procedimento é menos dispendioso que a RTUP e apresenta menos complicações, não sendo necessário permanecer internado no hospital de um dia para o outro. No entanto, aproximadamente metade dos homens necessita de tratamento adicional em quatro anos.
  • Ablação transuretral por agulha (ATUA) — Este procedimento utiliza uma agulha aquecida para queimar pequenas quantidades de tecido prostático. Tal como a TTUM, esta intervenção é menos dispendiosa que a RTUP e apresenta menos complicações. Além disso não é necessário internamento hospitalar de um dia para o outro.
  • Prostatectomia transuretral induzida por laser e guiada por ultrassom (PTUILE) — Utilizando o ultrassom como orientação, o cirurgião remove o tecido prostático em excesso com um feixe de laser. Uma variante deste procedimento que utiliza um telescópio em vez do ultrassom é denominada prostatectomia visualizada assistida por laser (PVAL).
  • Cirurgia a céu aberto — Ocasionalmente, uma próstata de dimensões muito aumentadas pode requerer uma incisão acima do osso púbico.

Embora a cirurgia seja geralmente realizada como um procedimento eletivo, alguns homens necessitam ser submetidos a uma intervenção cirúrgica se a bexiga ficar completamente bloqueada.

Quando consultar um profissional

Consulte o médico se tiver sintomas incômodos ou se notar o aparecimento de sangue na urina. Se o fluxo de urina parar completamente, procure cuidados médicos imediatos. A pessoa também deve consultar o médico se tiver sintomas sugestivos de infecção urinária.

Prognóstico

É provável que tanto os tratamentos clínicos como os cirúrgicos proporcionem alívio dos sintomas. A cirurgia é um pouco mais eficaz no alívio dos sintomas, mas o risco de complicações é maior.

 

Comente com o Facebook